Home
Promoções
Preços
Pneus
Estação de Serviço
Acessórios
Facebook
Contactos
Onde Estamos
Protocolos


A nossa secção de Estação de Serviço nos seus moldes actuais de funcionamento está pronta a executar diversos trabalhos no seu automóvel, com destaque para:

  • Lavagens do Veículo por baixo;
  • Lavagens de Motor;
  • Lubrificação.

MUDANÇAS DE ÓLEO

Este serviço foi encerrado por decisão da empresa.

Continuamos, contudo, a comercializar lubrificantes em condições muito competitivas, tendo apenas deixado de executar o serviço de mudança de óleo e filtros.

Veja a nossa página promoções.


PERIODICIDADE DA MUDANÇA DE ÓLEO

Durante o funcionamento de qualquer motor, haverá sempre algum consumo de óleo.  Infelizmente, uma quantidade enorme de automobilistas nunca verificam o nível do óleo do motor. A verificação do nível do óleo de motor deveria constituir uma rotina periódica (a cada 1000 km) do automobilista e a par da verificação da pressão dos pneus e do nível do líquido de refrigeração.

A passagem do nível do traço máximo para o traço mínimo da vareta do óleo, corresponde a uma menor carga do carter e deixar o nível do óleo descer abaixo do traço mínimo da vareta corresponde a entrar-se num regime de lubrificação deficiente, com risco de gripar o motor.

A verificação do nível de óleo deve ser feita com o veículo sobre uma superfície plana e o óleo não deve estar muito quente. 

No que respeita a mudança de óleo, o período adequado depende de vários factores:

• Tecnologia do motor (potência, número de rotações, temperaturas)

• Tipo de condução (suave, desportiva)

• Percursos dominantes (cidade, estrada)

• Intensidade da utilização do veículo

• Lubrificante utilizado (Nível de Performance, mineral ou sintético).

Como se verifica, a variável lubrificante é uma entre várias outras igualmente importantes e a serem tidas em conta.

Acresce ainda que existem factores psicológicos e de hábito associados à mudança de óleo (há utilizadores que gostariam de nunca mudar o óleo e são sensíveis ao alargamento do período de muda, outros são desconfiados relativamente a uma maior permanência da carga de óleo).

Sabe-se que, em Portugal, três em cada 4 condutores têm o hábito de mudar o óleo de motor cada 7500 quilómetros.

De um modo geral, os fabricantes dos veículos aconselham uma certa quilometragem para se fazer a mudança de óleo. Este indicador é importante por dar uma ideia do desgaste que o lubrificante sofre devido à tecnologia do motor.

A indicação do construtor, que é genérica, deve ser aperfeiçoada com a consideração das outras variáveis atrás referidas. Se as condições de utilização são severas, será prudente reduzir o período de muda. Se se utilizar um lubrificante de elevado "Nível de Performance" e este fôr sintético, o período de muda pode ser alargado. 

 ALGUMAS CONSIDERAÇÕES SOBRE LUBRIFICANTES

Não existem "marcas " melhores que outras. A afectividade por uma "marca" resulta de factores psicológicos e do efeito do Marketing.

Os lubrificantes estão classificados segundos diversos "Níveis de Performance" licenciados por entidades internacionais independentes e idóneas.

Assim, um lubrificante com um determinado "Nível API ou ACEA", tem tanta qualidade como um outro do mesmo nível de uma outra marca, pelo que as marcas estruturam as suas linhas de produto com lubrificantes de diversos Níveis de Performance.

API (American Petroleum Institute) e ACEA (Association des Constructeurs Européens d’Automobiles) são as duas entidades licenciadoras de lubrificantes para automóveis mais conhecidas.

O API estrutura os seus Níveis de Performance de lubrificantes para motores em dois segmentos (começando na letra "S" para gasolina e na letra "C" para diesel, a que se seguem letras em ordem crescente de exigências). Neste momento, o nível API mais elevado para gasolina é o "SJ" e o mais exigente para motores Diesel a 4 tempos é o "CH-4).

A ACEA rege-se por três segmentos (começando com a letra "A" para gasolina, pela letra "B" para diesel ligeiros e letra "E" para diesel pesados, a que se segue um número em ordem crescente de exigências). Neste momento, o nível ACEA mais elevado para gasolina é "A3", para diesel ligeiro é "B4" e para diesel pesado é "E4".

O correcto não é escolher "marcas" mas sim "Níveis de Performance". O "Nível de Performance" de um lubrificante indica a sua aptidão para desempenhar cabalmente determinadas exigências de lubrificação.

Para evitar problemas e assegurar uma adequada lubrificação, deve-se verificar no manual do veiculo qual o "Nível de Performance " exigido ao lubrificante e aplicar um produto que cumpra ou ultrapasse o nível requerido.

A diferença de preços entre os lubrificantes com diferentes caracteristicas tem a ver, sobretudo, com os custos das matérias primas incorporadas, dado que as bases sintéticas (devido ao seu processo de fabrico) são muito mais caras que as bases minerais e a alguns lubrificantes são acrescentados aditivos.

Normalmente, a um preço superior corresponde uma performance superior que compensa largamente a diferença de preços através de várias poupanças (duração do equipamento, consumo de combustível, tempo de serviço, etc).

Contudo, a diferença de preço entre lubrificantes com m mesmo "Nível de Performance" de marcas diferentes, pode ser justificado por várias razões, uma das quais será sempre a valia da marca e o investimento em promoção das diferentes marcas.



Top